GENERIC SOHO 125, roda alta [7.5/10]

Depois de ter investido no segmento scooter 50, marca GENERIC ataca o mercado das 125 com o modelo Soho. É uma scooter de roda alta, claramente inspirada num espirito desportivo. Apesar de ser desenvolvido na Áustria o seu fabrico é “made in China”.

Look irreverente

Com um design moderno e vanguardista, é difícil de ver nesta Soho 125 o resultado esperado de uma produção chinesa. E esta discrepância pode ser explicada com o simples facto dos modelos GENERIC serem concebidos e inspirados na Áustria, sede da marca.

À semelhança da Generic Ideo ou XOR 50, a Soho é futurista e arrojada. Com linhas simples, minimalistas, e um design exclusivo, a Austria mostra neste modelo o seu espirito desportivo no seu estado mais puro… e a julgar pelas reacções de muitos que já a testaram, a escolha é bastante popular entre os jovens utilizadores de scooters.

Nos detalhes, apreciámos os excelentes acabamentos tendo em conta que se trata de uma scooter chinesa. A qualidade dos plásticos é aparentemente boa e o esquema de cores entre plásticos são bem conjugados. Quanto ao equipamento, porém, satisfaz o mínimo. A instrumentação fornece apenas um indicador de combustível, um relógio e uma advertência da temperatura da água. Outro aspecto (menos positivo) que nos chamou a atenção foi o facto de não ter pedal de arranque manual, essencial para os imprevistos, e ainda o facto de não ter mala traseira, já que o espaço de armazenamento sob o banco não pode sequer acomodar um capacete, nem mesmo o menor dos capacetes no mercado.

http://www.arpem.com/motos/modelos/generic/fotos/2009/generic-soho-125/generic-soho-125-faro.jpg http://www.arpem.com/motos/modelos/generic/fotos/2009/generic-soho-125/generic-soho-125-faro-trasero.jpg

Confortável, mas pouco

Uma uma vez sentados no banco, descobre-se um veículo relativamente acessível. A forma refinada do banco e a sua reduzida largura global permitem a colocação dos pés no solo sem dificuldade, pelo menos para um condutor com mais 1,65m.  Como na maioria das scooter’s de roda alta, a posição de condução obriga a pernas dobradas e a costas direitas. As mãos acabam por cair naturalmente sobre o guiador numa postura correcta, mas muito menos radical do que a sugerida no primeiro olhar à Soho.

Em contrapartida, é de lamentar o banco demasiado “duro”, e especialmente as suspensões com hidráulicos sem capacidade de retenção. O passageiro também é colocado para um segundo plano, já que, para além da sua posição não ser a melhor para as costas, os pousa-pés também se mostraram demasiado pequenos para a sua função de suporte.

http://www.arpem.com/motos/modelos/generic/fotos/2009/generic-soho-125/generic-soho-125-freno-delantero.jpg

Quanto à sua maneabilidade, a sua parte dianteira é de facto ligeiramente pesada, mas a Soho até se manipula bastante bem em cidade, e isto deve-se ao seu peso razoável de 130Kg e ao diâmetro de viragem aceitável de 4m10. Outros pontos menos positivos encontrados foram os espelhos retrovisores que acabam por ter uma visão muito reduzida, e os controlos de travagem estarem demasiado afastados do punhos , dificultando a sua utilização!

Um motor eficaz

Contrariamente a muitas das scooter’s chinesas, o Soho opta por um motor monocilíndrico de refrigeração líquida, procurando uma potência razoável para a sua categoria (10,2 CV). O única outra chinesa deste tipo é a Keeway Outlook, igualmente concebida na Europa.

A alimentação da Soho é confiada a um carburador e nele nota-se algumas imprecisões a frio, principalmente no arranque. A Quente, o bloco mostra-se contudo de muito rápida resposta, mesmo em uso urbano. Acelera sem tempos mortos e gratifica o condutor com  acelerações vivas até aos 80 km/h a uma precisão de dosagem apreciável mesmo a velocidades reduzidas. Apesar da sua falta de conforto, este modelo austríaco mostra-se logicamente bastante eficaz em circuito citadino, apresentando ainda um sistema de travagem adequado.

escape generic soho

O comportamento de estrada é satisfatório. A sua velocidade parece estar limitada ao atingir os 101km/h reais, e neste ensaio parece faltar homogeneidade na condução já que a dianteira parece ser bastante reactiva às linhas do solo acabando por provocar alguns tremores na coluna de direcção.

Por último a protecção é minimalista. Além da ausência de um pára-brisas / viseira, a forma dilatada do avental tem tendência em acentuar o fluxo de ar ao nível das pernas. Outro ponto negativo  é a autonomia (de 130 Km / depósito) que  são insuficientes para viagens longas, apesar do seu consumo ser bastante razoável ( 3,6 l/100 Km.)…

Conclusão

Como deve ter percebido, a Soho destina-se mais a circuitos citadinos do que a trajectos suburbanos. Aquém disto o modelo  chino-austríaco promote e dispõe de argumentos fortes: design arrojado, acabamentos cuidados, motorização eficaz em cidade. No final até se aceita a sua falta de conforto, apresentando-se como um compromisso interessante para os condutores citadinos. O preço felizmente foi colocado abaixo dos 2000€, parecendo assim uma boa opção. Esperemos por conseguinte que a fiabilidade e o serviço pós-venda desta jovem marca estejam à altura.

Motor vigoroso
Design arrojado
Bons acabamentos
Conforto banco/suspensões
Arrumos “minúsculos”
Protecções inexistentes
Pouca autonomia

Nota Final: 7.5/10

Motor: 9/10
Performance: 6/10
Estética: 8/10
Equipamento: 7/10

Velocidade máxima: 101 km/h
Aceleração 0-100 m: 8,3 seg
Diâmetro viragem: 4150 mm
Conso. média: 3,6 l/100 Km
Autonomia: 130 Km

Skyteam SKYMAX/DAX 125

Skyteam Dax 125

A SKYMAX CLUB, da SKYTEAM é a réplica da Honda Dax ST50 de 1968, agora equipada com motor de 125cc !!!

Este modelo é sem dúvida um ícone de estilo na sua forma mais pura e é neste momento o modelo mais vendido da Skyteam na Europa. O PVP recomendado, e à semelhança da Gorilla, é de 1.190,00€

Keeway SilverBlade 125EFI

Fonte: www.keewaymotor.com

A KEEWAY SILVERBLADE 125EFI é uma das novidades, apresentada pela Keeway, para 2011.

Este novo modelo, que poderá ser conduzido com carta de carro, vem alargar a oferta da KEEWAY, nomeadamente no segmento das maxi-scooters, onde a MAXI-SCOOTER KEEWAY SILVERBLADE é o primeiro modelo da marca neste segmento. Esta nova máquina oferece, para alem de muitas outras características, um motor de injecção, linhas arrojadas e a qualidade já bem conhecida da marca…

Keeway Silverblade 125 EFI

Keeway Silverblade 125 EFI

Shineray Portugal

http://www.comentei.com.br/wp-content/uploads/2010/07/Shineray_logo-03.jpg

Conhecida principalmente pelo Moto4 / quads, a Shineray é uma marca chinesa que tem lutado para progressivamente aumentar a qualidade dos seus produtos.

Tem mais informações que considere uteis?
Comente e partilhe aqui no Blog…

Jovimoto, SA

A JOVIMOTO é uma empresa que já existe desde 1979, sediada em Cantanhede.

Iniciou-se com a importação de acessórios, pneus e bicicletas e em 86 passou a fazer parte da rede de concessionários YAMAHA,;
Neste mesmo ano é de destacar que se iniciou igualmente no segmento dos produtos agricolas/floresta;
Actualmente importa várias marcas de motociclos de origem chinesa, nomeadamente:

- HANWAY;
- FOSTI;
- JIANSHE;
- LONGJIA;
- FOSTI;

Jonway Predator, agora também em 125cc


Com a crescente procura de scooters 125cc, o modelo PREDATOR da JONWAY passa também a estar disponível em cilindra de 125cc, tornando-se uma maxi-scooter apetecível a quem procura uma scooter como meio de transporte alternativo.

Claramente inspirada na Honda JAZZ, esta MAXI-SCOOTER 125 apresenta um design bastante apelativo de espirito desportivo numa excelente relação preço/qualidade.

O baixo consumo são outra das caracteristicas principais não descurando claro, a excelente maneabilidade.

Jonway Victoria YY125T-29

Fonte: www.greenfactory.pt

A Jonway victoria apresenta-se como uma scooter de espirito clássico e está neste momento apenas disponível com o motor 125cc, a 4 tempos e parece fazer médias muito boas. Para quem tem carta de carro e procura uma alternativa esta pode ser uma opção.

Basicamente é mais uma chinesa inspirada na lendária Vespa e no seu espírito retro-clássico.

O Design é apelativo, resta saber a fiabilidade.

Peso Líquido: 110kg
Distância entre eixos: 1250mm
Dimensões: 1850*650*1120mm
Velocidade máxima: 90km/h
Carga máxima suportada: 140kg
Capacidade do depósito: 8.5L
Tipo de travões: F/T: Disco
Tipo de motor: 4 tempos, monocilindrico, arrefecimento a ar
Potência máxima: 5.85kw/8500r/min
Sistema de arranque: Eléctrico/Pedal
Tamanho dos pneumáticos: 130/60-13; 130/60-13
Voltagem da bateria: 12V/7AH

Grupo Masac

http://www.masac.pt/grupo/images/logoMasac.jpg

A MASAC é uma empresa dedicada à importação, exportação e comércio de veículos de duas e quatro rodas, acessórios para motociclistas e motos e material agrícola.

Para ter uma ideia, é anunciado no site do grupo que só em 2007, o volume de negócios foi de 13 milhões e 250 mil euros !

De destacar que a grande maioria das marcas comercializadas pelo Grupo Masac não são chinesMSCas, no entanto a Loncin é uma das marcas chinesas representadas…

GRUPO MASAC – MASAC e MSC
Rua Sra. de Vagos Apartado 12
3064-909 Cantanhede

Contactos:
Serviços Administrativos: 231 410 752
Departamento Comercial: 231 410 755
Polaris: 231 410 756
Assistência Técnica Polaris: 231 410 757
Motociclismo: 231 410 769
Floresta e Jardim: 231 410 767
Departamento de Veículos: 231 410 765
Marketing Comercial: 231 410 766
Encomendas: 231 410 753 / 917 591 305
Oficina: 231 410 764
Fax: 231 410 751
E-Mail: masac@masac.pt



Time executed 0 seconds